Disponibilizamos para download diversos textos importantes sobre yoga, tantra, filosofia indiana e temas correlatos, que podem ser copiados a partir deste site ou de outros endereços da Internet.

Estes textos não são nossos e não foram traduzidos por nossa equipe. São traduções que estão disponíveis gratuitamente em outros sites.

Alguns dos arquivos são em português e outros em espanhol. Os autores ou tradutores textos e os links das postagens originais estão indicados dentro de cada arquivo.

Kāṭha-Upaniṣad e Māṇḍūkya Upaniṣad

As Upaniṣads são importantes textos indianos, considerados sagrados ("perfeitos") segundo a tradição da Índia. Eles contêm ensinamentos filosóficos e, às vezes, informações práticas sobre meditações e outros aspectos do caminho espiritual. Estamos disponibilizando aqui as traduções comentadas, em português, de duas Upaniṣads importantes: Kāṭha e Māṇḍūkya. A tradução e os comentários são de autoria de Shri Swami Krishnapriyananda Saraswati. As Upaniṣads, como outros textos indianos, utilizam um vocabulário muito especial para descrever os conceitos espirituais que abordam. Muitas vezes, essas palavras não têm uma tradução exata, em nossos idiomas, exatamente por descreverem ideias que não fazem parte da cultura ocidental. Para o estudo das Upaniṣads e de outros textos indianos, é conveniente utilizar dicionários ou glossários. O texto aqui apresentado, da Māṇḍūkya Upaniṣad, tem no seu final um glossário dos principais termos utilizados. As pessoas interessadas em se aprofundarem nesse tipo de conhecimento podem consultar muitas fontes disponíveis na Internet, como estas:

Upaniṣads do Ṛg Veda

Upaniṣads do Ṛg Veda - tradução para o português de dez Upaniṣads.

Apresentamos aqui a tradução completa de dez Upaniṣads que são tradicionalmente associadas ao Ṛg Veda: 1. Aitareya Upaniṣad - 2. Akṣamālika Upaniṣad - 3. Ātma-Bodha Upaniṣad - 4. Bahvṛca Upaniṣad - 5. Kauṣītaki-Brāhmaṇa Upaniṣad - 6. Mudgala Upaniṣad - 7. Nada-Bindu Upaniṣad - 8. Nirvāṇa Upaniṣad - 9. Saubhāgya-Lakshmi Upaniṣad - 10. Tripurā Upaniṣad. Dessas Upaniṣads, duas são reconhecidas como muito antigas (anteriores à era cristã): Aitareya Upaniṣad e Kauṣītaki-Brāhmaṇa Upaniṣad. As outras são mais recentes. Quatro das Upaniṣads desta coleção (as duas mais antigas citadas acima, juntamente com a Atma-Bodha Upaniṣad e a Mudgala Upaniṣad) são consideradas como gerais, isto é, abordam a temática principal explorada no Vedānta – a relação entre Ātman, o Eu mais interno, e Brahman, o Absoluto. A Nirvana Upaniṣad é considerada uma Upaniṣad dos saṃnyāsis, ou seja, daqueles que renunciaram a tudo. Três das Upaniṣads do Ṛg-Veda (Bahvṛca Upaniṣad, Saubhāgya-Lakṣmī Upaniṣad, Tripurā Upaniṣad) são classificadas como “śāktas”, ou seja, referentes à Grande Deusa ou Śakti (palavra que significa “A Poderosa”). A Akṣamālika Upaniṣad é Śivaísta (ou seja, refere-se a Śiva), e a Nāda-Bindu Upaniṣad é uma das Upaniṣads do Yoga.

Sītā Upaniṣad

Esta é a Upaniṣad de número 45, de acordo com a listagem apresentada na Muktikā Upaniṣad. É considerada uma Upaniṣad Śākta (ou seja, cujo assunto principal é a Śakti, a Grande Deusa indiana), e pertence ao grupo do Atharva Veda. Parece ser um texto relativamente recente (escrito entre os séculos 13 e 15).

A Sītā Upaniṣad apresenta a deusa Sītā como a divindade suprema. Nesta Upaniṣad, Brahma ensina aos outros devas a respeito da identidade de Sītā. Ele lhes conta que ela é a Natureza (Prakṛti), a Magia (māyā) e o Poder Fundamental (Adhāra Śakti) do universo, sob forma feminina. Brahma também fala sobre suas diferentes formas, geralmente em triplicidades. Ela se manifesta como a companheira de Brahma, de Viṣṇu e de Śiva. Ela própria cria, sustenta e dissolve o universo. Ela é um poder triplo: poder de desejo, poder de ação, poder de conhecimento. Ela é ao mesmo tempo Sītā, a fiel companheira de Rāma, mas é também Śrī (a Beleza) e Lakṣmī (a Abundância). Nela se concentram todos os poderes: o poder do Yoga, das alegrias, do heroísmo. Ela se manifesta sob várias formas, como Śrī, Bhūmi e Nīlā.

O nome da Upaniṣad remete a um personagem bem conhecido da mitologia indiana. Sītā (pronuncia-se Sítá) é o nome de uma heroína do épico hindu Rāmāyaṇa. Ela é uma encarnação ou avatar de Lakṣmī, deusa indiana na riqueza. As características principais de Sītā são sua dedicação, auto-sacrifício, coragem e pureza. No Rāmāyaṇa, Sītā a é esposa de Rāma, que por sua vez é um avatar de Viṣṇu.

Brihadaranyaka Upaniṣad - Bṛhadāraṇyaka Upaniṣad

Bṛhadāraṇyaka Upaniṣad ("A grandiosa doutrina secreta [upaniṣad] da floresta"), traduzido para o espanhol por Hugo Labate. É um dos mais antigos textos indianos a apresentar os ensinamentos básicos do Vedānta.

Apresentamos aqui uma tradução para o espanhol, por Hugo Labate, de uma das mais importantes Upaniṣads: a Bṛhadāraṇyaka. Esta é uma das dez upaniṣads primárias ou principais, sendo considerada uma das mais antigas existentes, sendo certamente anterior ao surgimento do Budismo e podendo ter sido escrita cerca de oito séculos antes da era cristão. Está contida no Śatapatha Brāhmaṇa, que é um texto associado ao Śukla Yajurveda (ou Yajurveda Branco). As outras duas upaniṣads que são consideradas também muito antigas são a Chandogya Upaniṣad e a Jaiminiya Upaniṣad Brāhmaṇa. 

Upaniṣads do Yoga

As 16 Upaniṣads do Yoga, completas, com texto em sânscrito, traduzidas para o espanhol por Hugo Labate. 

As Upaniṣad, uma parte dos Vedas, são antigos textos sânscritos que contêm alguns dos conceitos filosóficos centrais e ideias do hinduísmo.

Estão entre as publicações mais importantes da história das religiões e culturas indianas, as Upaniṣads desempenharam um papel importante no desenvolvimento de idéias espirituais na Índia antiga, marcando uma transição do ritualismo vêdico para novas ideias e instituições. De toda a literatura vêdica, as Upaniṣads sozinhas são amplamente conhecidas por suas ideias centrais que estão no núcleo espiritual dos hindus.

Upaniṣads do Kriṣṇa Yajur Veda

Apresentamos aqui a tradução completa de 32 Upaniṣads que associadas ao Kriṣṇa Yajur Veda. Várias dessas Upaniṣads contêm importantes ensinamentos sobre o Yoga tradicional indiano. É comum classificar as Upaniṣads em vários tipos: as mais antigas (Mukhya), as de caráter plural (Sāmānya), as que tratam sobre os renunciantes (saṃnyāsa), as que se referem à Grande Deusa (Śākta), as dedicadas a Viṣṇu (Vaiṣṇava), as que tratam sobre Śiva (Śaiva) e as que tratam sobre Yoga. Apresentamos, na próxima página, a classificação das Upaniṣads aqui traduzidas, para facilitar a seleção pelos interessados. Porém, para as pessoas interessadas em Yoga há várias Upaniṣads antigas (como Taittirīya, Śvetāśvatara, Kaṭha – pertencentes ao Kṛṣṇa Yajur Veda) que são também muito importantes. Trata-se de um trabalho muito útil, colocando à disposição dos leitores de língua portuguesa uma importante coleção de textos indianos. Os leitores devem, no entanto, levar em conta que se trata de uma tradução indireta, do inglês para o português, e que, portanto, possuem dois tipos de limitação: equívocos que poderiam estar presentes na própria versão em inglês; e imprecisões na tradução do inglês para o português. De qualquer forma, independentemente de qualquer limitação da presente versão, a tradutora fez um grande favor aos leitores que têm dificuldade em ler outros idiomas.

Yoga-Darśana-Upaniṣad 

A Yoga Darśana Upaniṣad é uma das menores Upaniṣads do hinduísmo escrito em sânscrito. É uma das vinte Yoga-Upaniṣads nos quatro Vedas, e está ligado ao Samaveda. 

O texto apresenta o Yoga clássico semelhante ao formato do Yogasūtras de Patañjali em um estágio sequencial ascendente de oito estágios yogues, mas diferentemente de Yogasūtras, o Darśana Upaniṣad inclui conceitos de kuṇḍalinī. O objetivo final do Yoga, afirma o Upaniṣad, é o autoconhecimento e a percepção da identidade do Eu (Ātman) com a realidade universal (Brahman).

Sarasvatī Rahasya Upaniṣad - O Conhecimento Secreto da Deusa da Sabedoria

A Sarasvatī-rahasya Upaniṣad, que significa "o Conhecimento Secreto da Deusa da Sabedoria", é um texto em sânscrito da era medieval e um dos Upaniṣads menores do hinduísmo. O texto é classificado como um dos oito Śakta Upaniṣads e incorporado no Kṛṣṇa Yajurveda.

A Upaniṣads é notável por glorificar o feminino como Śakti (energia, poder) e como o princípio metafísico de Brahman, e extensivamente usa uma combinação de terminologia de Bhakti e Vedānta. O texto é importante para as tradições da Deusa no hinduísmo.

O autor e o século em que Sarasvatī-rahasya Upaniṣad foi composta são desconhecidos. É um Upaniṣads tardia, provavelmente a partir do final do período medieval. O texto provavelmente foi composto, no mesmo período que outros Śakta Upaniṣads, entre os séculos XII e XV. O texto, junto com outros Śakta Upaniṣads, foi datado do século XVI, de acordo com C Mackenzie Brown - professor de religião e escritor de livros sobre deusas hindus. Mesmo que este texto seja de origem relativamente tardia, Sarasvatī como deusa é rastreável à literatura vêdica do segundo milênio aC.

O texto foi influente na tradição do Hinduísmo do śaktismo (Deusa). Muitos de seus versos são encontrados incorporados em textos posteriores de Śakti, como o Vākyasudha, um tratado sobre a escola não-dualista Vedānta da filosofia hindu.

Devī-Upaniṣad 

A Devī-Upaniṣad é considerada uma das Upaniṣads menores do hinduísmo e um texto composto em sânscrito. É um dos 19 Upaniṣads anexados ao Atharvaveda, e é classificada como uma das oito Śakta Upaniṣads. É, como um Upaniṣad, uma parte do corpus da coleção de literatura Vedānta que apresenta os conceitos filosóficos do hinduísmo.

O texto provavelmente foi composto entre os séculos IX e XIV. Refere-se a Mahādevī como representando todas as deusas. A Devī-Upaniṣad faz parte das cinco Upaniṣads Atharvaśiras, importantes para as tradições filosóficas do Tantra e Śakta.

A Upaniṣad afirma que a Deusa é Brahman (Realidade metafísica final), e dela surgem Prakṛti (matéria) e Puruṣa (consciência). Ela é felicidade e não-felicidade, os Vedas e o que é diferente disso, os nascidos e os não-nascidos, e todo o universo. 

Devī e Deva são termos sânscritos encontrados na literatura vêdica, como o Ṛgveda do segundo milênio aC. Deva é masculino e o equivalente feminino relacionado é Devī. Eles significam "celestiais, divinas coisas terrenas de alta excelência, exaltadas e brilhantes". O termo Upaniṣad significa que é um texto de conhecimento ou "doutrina oculta" que pertence ao corpus da coleção de literatura Vedānta apresentando os conceitos filosóficos do hinduísmo e considerado o propósito mais elevado de suas escrituras, os Vedas. 

SHRI YOGA DEVI

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
Cadastre-se para receber novidades!
430485-PE9ZCG-718.png

Serra da Mantiqueira - Caixa Postal 188

CEP 37640-970 Extrema, MG