Disponibilizamos para download diversos textos importantes sobre yoga, tantra, filosofia indiana e temas correlatos, que podem ser copiados a partir deste site ou de outros endereços da Internet.

Estes textos não são nossos e não foram traduzidos por nossa equipe. São traduções que estão disponíveis gratuitamente em outros sites.

Alguns dos arquivos são em português e outros em espanhol. Os autores ou tradutores textos e os links das postagens originais estão indicados dentro de cada arquivo.

Yoga Vasiṣṭha, o Yoga do sábio Vasiṣṭha

A obra Yoga Vasiṣṭha é um texto espiritual indiano atribuído tradicionalmente ao sábio Valmiki. 

A obra denominada Yoga Vasiṣṭha é um texto espiritual indiano atribuído tradicionalmente ao sábio Valmiki. Parece ter sido escrita aproximadamente entre os séculos V e XIV d.C., embora seja difícil datar esse tipo de texto. A obra completa é muito grande, constituída por mais de 30.000 versos. Contém muitas narrativas que apresentam, de forma clara e interessante, os ensinamentos sobre a não-dualidade (Advaita Vedānta), apresentados como fundamento para a compreensão dos objetivos do Yoga. A obra parece ter sofrido influências budistas e tem forte tendência Śivaísta. É um livro muito respeitado, na Índia. É também conhecido por outros nomes: Mahā-Rāmāyaṇa, Ārṣa-Rāmāyaṇa, Vasiṣṭha-Rāmāyaṇa e Vasiṣṭha Gītā. 

Haṭha-Yoga-Pradīpikā ou Luz sobre Haṭha Yoga

O Haṭhayogapradīpikā, ou Luz sobre Haṭha Yoga, é um clássico manual sânscrito do século XV sobre o Haṭha Yoga, escrito por Svāmi Svātmārāma, que liga a linhagem do ensinamento a Matsyendranāth dos Nāthas. Está entre os textos sobreviventes mais influentes no hatha yoga. O Hatha Yoga Pradīpikā é também um dos três textos clássicos sobre Haṭha Yoga, ao lado do Gheraṇḍa Saṁhitā e do Śiva Saṁhitā.

O Haṭha Yoga Pradīpikā foi composto por Svātmārāma no século XV. como uma compilação dos textos anteriores de Haṭha Yoga. Svātmārāma incorpora conceitos sânscritos mais antigos em sua síntese popular. 

A obra lista trinta e cinco mestres anteriores de Hatha Yoga, incluindo Ādi Nātha, Matsyendranātha e Gorakṣanātha. O trabalho consiste em quatro capítulos que incluem informações sobre purificação (Śaṭkarma), postura (āsana), controle da respiração (prāṇāyāma), centros energéticos no corpo (cakra), poder enroscado (kuṇḍalinī), posturas de força (bandha), kriyā), energia (śakti), conexões corporais sutis (nāḍī) e gestos simbólicos (mudrā), entre outros tópicos.

Śiva Saṁhitā - O Compêndio de Śiva

Śiva Saṁhitā, é um texto em sânscrito sobre Yoga, escrito por um autor desconhecido. O texto é dirigido pelo deus hindu Śiva à sua consorte Parvatī. O texto consiste em cinco capítulos, sendo no primeiro capítulo um tratado que resume a filosofia não-dual do Vedānta (Advaita Vedānta) com influências da escola de Śrī Vidyā do Sul da Índia. Os capítulos restantes discutem yoga, a importância de um guru (professor) para um estudante, vários āsanas, mudrās e siddhis (poderes) atingíveis com o Yoga e o Tantra.

O Śiva Saṁhitā é um dos três principais tratados clássicos sobreviventes sobre haṭha yoga, sendo os outros dois Gheraṇḍa Saṁhitā e Haṭha Yoga Pradīpikā. É considerado o mais abrangente tratado sobre Haṭha Yoga, datado por alguns estudiosos como um texto do século 17, enquanto outros como James Mallinson - um estudioso de sânscrito e estudos orientais conhecidos por suas publicações de Haṭha Yoga, datam o texto para ser pré-1500 d.C., provavelmente entre 1300 e 1500 d.C.

Gheraṇḍa saṁhitā

O Gheraṇḍa saṁhitā é um manual de Haṭha-Yoga do século XVII que consta de 351 estrofes distribuídas em sete capítulos. É uma das três escrituras clássicas do Haṭha-Yoga e as técnicas que apresenta formam a base de muitas práticas do Yoga contemporâneo. O ensinamento apresenta-se em forma de diálogo entre o sábio Gheraṇḍa, de quem nada se conhece, e seu discípulo Chānḍa Kāpāli. Esta obra toma como modelo o Haṭha-Yoga-Pradīpikā e alguns versos têm correspondência com os do dito manual. Gheraṇḍa ensina uma disciplina de sete passos (sapta-sádhana) e descreve não menos de trinta e duas posturas (āsana) e vinte e cinco “selos” (mudrā). A parte mais original deste trabalho é o extenso tratamento das técnicas de purificação (śodhana). Também propõe uma interessante classificação do fenómeno do ênstase (samādhi). Existem numerosos comentários a este texto. 

SHRI YOGA DEVI

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
Cadastre-se para receber novidades!
430485-PE9ZCG-718.png

Serra da Mantiqueira - Caixa Postal 188

CEP 37640-970 Extrema, MG