Blog Shri Yoga Devi
Bem vindos!!!
www.shri-yoga-devi.org
 
Postagens do Blog
+ 2013 / 1º semestre
+ 2012 / 2º semestre
+ 2012 / 1º semestre
+ 2011 / 2º semestre
+ 2011 / 1º semestre
+ 2010 / 2º semestre 
+ 2010 / 1º semestre
+ 2009 / 2º semestre
 
EU SOU
Flávia Bianchini
Satyananda Svarupini (Flávia). Sou Instrutora de Kundalini Yoga e Artista Plástica. Coordeno o espaço Shri Yoga Devi onde ministro aulas de Yoga. Veja o site: www.shri-yoga-devi.org

Maha Devi
"Do meu Poder tudo brota,
Por meu Poder tudo se sustenta,
Por meu Poder tudo se dissolve.
Eu sou este Brahman sem dualidades."
Kaivalya Upanisad

Texto do mês

Viṣṇu Purāṇa – A antiga tradição sobre Vishnu

Tradução do sânscrito para o inglês por Horace Hayman Wilson e do inglês para o português por Eleonora Meier

Todos os meses colocamos à disposição dos nossos leitores novos textos. Neste mês, apresentamos uma tradução completa do Viṣṇu Purāṇa (ou Vishnu Purana) para o português.

Vishnu Purana

Viṣṇu Purāṇa é um dos dezoito "grandes Purāṇas" (Mahāpurāṇas). É considerado um dos mais importantes textos dessa categoria, recebendo a designação de "a jóia dos Purāṇas" (Purāṇaratna). 

Os Purāṇas são textos tradicionais indianos considerados relativamente recentes (início da era cristã, ou período medieval europeu – entre 400 e 1000 d.C.), embora seu nome, "Purāṇa", signifique "antigo", e haja menção aos Purāṇas nos Vedas (Atharvaveda XI.7.24) e em outras obras que certamente foram escritas muito antes da era cristã, como as Upaniṣads mais antigas. É possível que tenham existido alguns Purāṇas muito antigos, que eram transmitidos oralmente, mas que foram depois perdidos ou sofreram alterações, acabando por produzir os que chegaram até nós. 

Os Purāṇas são obras religiosas, mitológicas e filosóficas, descrevendo também as genealogias de reis antigos e histórias de heróis, contendo ainda descrições de cidades e regiões, mitos sobre origem e dissolução do universo e outros temas. Algumas listagens de reis abrangem períodos de dois mil anos, ou mais, antes da era cristã. De um modo geral, cada Purāṇa centraliza sua atenção em uma divindade particular, como Viṣṇu, Śiva, Durgā, ou mesmo algum avatar, como Kūrma. No entanto, sempre abordam uma grande variedade de assuntos, sendo considerados praticamente enciclopédicos. 

Purana manuscrito devanagari

Como o próprio nome indica, o Viṣṇu Purāṇa considera, evidentemente, Viṣṇu como sendo a divindade suprema. Outro Purāṇa que também tem uma abordagem Vaiṣṇava (de devoção a Viṣṇu), e que é bastante conhecido no ocidente por ter sido traduzido e difundido pelo movimento Hare Kṛṣṇa é o Bhāgavata Purāṇa. No entanto, o Viṣṇu Purāṇa parece ser anterior ao Bhāgavata Purāṇa (séc. IX ou X d.C.). 

Tradicionalmente, considera-se que Vyāsa (o compilador do Mahābhārata) é também o autor dos Purāṇas. Mas os comentadores atuais consideram que os Purāṇas pertencem a várias épocas diferentes e que provavelmente foram escritos em diversas regiões da Índia, por diferentes autores.

Horace Hayman Wilson, um dos primeiros ocidentais que estudou esse texto, considerava que o Viṣṇu Purāṇa seria do século I a.C., pois menciona reis das dinastias Shishunaga, Nanda e Maurya (séculos VII a II a.C.) mas não menciona dinastias posteriores. Outros autores mais recentes supõem que esse Purāṇa foi escrito aproximadamente entre 300 e 400 d.C.

Vishnu e a criação de Brahma

A obra é apresentada como um diálogo entre o sábio Maitreya e seu mestre Parāśara. Parāśara é um vidente (ṛṣi) vêdico, autor de diversos textos antigos. Era neto de Vaśiṣṭha, outro grande ṛṣi do período antigo, considerado um dos sete grandes sábios da antiguidade indiana, e filho de Śākti-Munī. Segundo a tradição, Parāśara seria o pai de Vyāsa. 

O Viṣṇu Purāṇa está dividido em seis aṃśas (partes) e 126 adhyāyas (capítulos)  e contém cerca de 7.000 ślokas (versos). Seus temas principais são:

* mitos sobre a criação do universo e sobre suas fases
* mitos sobre lutas entre as divindades (Devas) e os demônios (Asuras)
* os avatāras ou encarnações de Viṣṇu
* genealogia e feitos dos reis lendários
* mitos sobre a destruição do mundo

A obra aqui apresentada contém, além da tradução do Viṣṇu Purāṇa, uma longa introdução de Horace Hayman Wilson (1786-1860), que o traduziu para o inglês. Essa introdução trata sobre os Purāṇas em geral, dando descrições curtas dos principais, além de apresentar um resumo do próprio Viṣṇu Purāṇa. A seguir, indicamos de forma sucinta o conteúdo da obra.

Vishnu Purana

Primeira parte (22 capítulos)
O primeiro livro dos seis, nos quais o trabalho está dividido, trata principalmente dos detalhes da criação, primária (Sarga) e secundária (Pratisarga); a primeira explicando como o universo procede de Prakṛtī, ou natureza eterna (uma visão semelhante à do sistema filosóficos Sāṅkhya); a segunda, de que maneira as formas das coisas são desenvolvidas a partir das substâncias elementares previamente desenvolvidas, ou como elas reaparecem depois de sua destruição temporária. Depois que o mundo tinha sido preparado para a recepção de criaturas vivas, ele é povoado pelos filhos gerados da vontade de Brahmā, os Prajāpatis ou patriarcas, e sua posteridade. Apresenta o conceito das quatro eras (yugas) da humanidade. Também apresenta o mito de Rudra (uma versão de Śiva), uma versão elaborada da história sobre como os Devas e os Asuras bateram o Oceano de Leite (Samudra Manthana) para obter o elixir da imortalidade, a lenda de Dhruva (um menino devoto de Viṣṇu), e as histórias dos antigos reis Vena e Prithy.

Segunda parte (16 capítulos)
O segundo livro abre com uma continuação dos reis do primeiro Manvantara, apresentando os descendentes de Prithu, os Prachetas. Apresenta a história de Hiranyakashipu e Prahlada. É dito que Bharata deu um nome para a Índia, chamada de Bharata-varśa por causa dele. Isso leva a uma narração minuciosa do sistema geográfico dos Purāṇas, com o monte Meru, os sete continentes circulares, e seus oceanos circundantes, até os limites do mundo, com interessantes detalhes astronômicos. Esse livro contém a descrição das esferas planetárias e outras; e a lenda de Jadabharata.  

Terceira parte (18 capítulos)
A terceira parte discute as histórias dos ciclos de criação e destruição, os períodos dos vários Manus (Manvantaras). O arranjo dos Vedas e outros escritos considerados sagrados pelos hindus, que é descrito no princípio do terceiro livro, é de muita importância para a história da literatura e da religião hindu. O sábio Vyāsa é aqui representado como o organizador ou compilador dos Vedas, dos Itihāsas (épicos), e Purāṇas. A última compilação reconhecida é aquela de Kṛṣṇa Dvaipayana, auxiliado por brâmanes que já estavam familiarizados com os assuntos respectivamente designados para eles. O resto do terceiro livro descreve as principais instituições dos hindus, os deveres de castas (varnas), as obrigações das diferentes fases da vida (aśramas), e a celebração de ritos fúnebres, em harmonia com as leis de Manu. Fala sobre o sábio Yajñavalkya, sobre as divindades Surya (associada ao Sol) e Yama (a divindade da morte) e também sobre os devotos Śatadhanu e Śaivya. 

Quarta parte (24 capítulos)
O quarto livro contém tudo o que os hindus têm de sua história antiga. Ele é uma lista de dinastias e reis das dinastias solar e lunar da Índia antiga. Também apresenta uma lista dos reis que "deverão aparecer" na era de Kali Yuga. Uma segunda lista contém os nomes de reis históricos de Magadha, incluindo os pertencentes às dinastias Shishunaga, Nanda e Maurya. São essas listas que permite fixar aproximadamente a data dessa obra.

Krishna e as gopis

Quinta parte (34 capítulos)
O quinto livro do Viṣṇu Purāṇa trata exclusivamente da vida de Kṛṣṇa, falando sobre seu nascimento, sua infância, sua vida adulta, até o momento de sua morte e da destruição de sua família, os Yadavas.

Sexta parte (8 capítulos)
O último livro contém uma descrição da era Kali, e um relato da dissolução do mundo, em ambos os seus cataclismos maiores e menores; e nos pormenores do fim de todas as coisas através de fogo e água, como também no princípio de sua renovação perpétua. A previsão da destruição final seria para daqui a quase meio milhão de anos. Comenta, também, sobre a importância geral dos Purāṇas.

Vishnu e Lakshmi, voando montados em Garuda

A tradução para o português, que apresentamos neste mês aos nossos leitores, foi elaborada por Eleonora Meier, a partir da versão em inglês elaborada por Horace Hayman Wilson, publicada em 1840. Estamos divulgando esta obra com a devida autorização da tradutora. A obra, em formato PDF, tem um sumário com links, a partir dos quais é possível saltar diretamente para a seção ou capítulo desejado. Possui também um Glossário, no final, contendo a explicação dos termos em sânscrito que aparecem na obra.

Esta obra completa está disponível para download na nossa Biblioteca Virtual de textos do site Shri Yoga Devi.

separador


Espaço de yoga Shri Yoga Devi
Campina Grande, Paraíba
http://www.shri-yoga-devi.org/

...
FaceBook link
.