Blog Shri Yoga Devi
Bem vindos!!!
www.shri-yoga-devi.org
 
Postagens do Blog
+ 2013 / 1º semestre
+ 2012 / 2º semestre
+ 2012 / 1º semestre
+ 2011 / 2º semestre
+ 2011 / 1º semestre
+ 2010 / 2º semestre 
+ 2010 / 1º semestre
+ 2009 / 2º semestre
 
EU SOU
Flávia Bianchini
Satyananda Svarupini (Flávia). Sou Instrutora de Kundalini Yoga e Artista Plástica. Coordeno o espaço Shri Yoga Devi onde ministro aulas de Yoga. Veja o site: www.shri-yoga-devi.org

Maha Devi
"Do meu Poder tudo brota,
Por meu Poder tudo se sustenta,
Por meu Poder tudo se dissolve.
Eu sou este Brahman sem dualidades."
Kaivalya Upanisad

O que é o Shiva Lingam?  

Se você fizer algumas buscas simples na Internet com a palavra "liṅgam", poderá ficar com a impressão de que essa palavra significa simplesmente "pênis" e que todas as práticas associadas ao liṅgam têm alguma conotação sexual. Isso não é verdade, na tradição indiana. É verdade que, em certos contextos, a palavra sânscrita "liṅgam" pode indicar o órgão sexual masculino; mas tem outros significados muito mais profundos, na religião e na filosofia indiana. 

Lingam oferendas

Em sânscrito, há muitas palavras que representam o pênis. A mais comum delas é "śiśna" e não "liṅgam".  Alguns dos nomes do pênis em sânscrito são analógicos - por exemplo, "daṇḍa", que significa bastão, pode também indicar o pênis. Outros nomes são simbólicos: "kāmāyudha" significa a flecha do desejo (ou de Kama). Outros têm um significado mais direto. Por exemplo: "narāṅga" significa literalmente "membro do homem" e "śiśna" significa "perfurador". A palavra liṅgam também pode representar o órgão sexual masculino.

Lingam com fundo transparente e com OM

Os objetos ou esculturas que representam o Śivaliṅga reforçam a idéia de um significado sexual. Essas esculturas possuem duas partes principais: um cilindro vertical, que é o liṅgam propriamente dito, e uma parte horizontal chamada "yoni" onde o liṅgam está fixado. "Yoni" significa o órgão reprodutor feminino, útero, vulva, vagina; de um modo mais abstrato, pode também significar fonte, origem, receptáculo, morada. 

Shiva e Parvati, com lingam

Assim, a conexão entre um liṅgam e um yoni tem uma conotação sexual direta e o liṅgam parece ser, simplesmente, um símbolo fálico. Por isso, muitas pessoas interpretam o Śivaliṅga  como um símbolo do poder fecundador ou gerador das forças da natureza, como a união do princípio reprodutor feminino com o masculino ou, de forma mais simbólica, como a união entre a divindade masculina, representada por Śiva, com a divindade feminina, representada pela Śakti ("a poderosa") ou Parvatī. 

Lingam puja - pintura miniatura 

Pode-se ficar com a impressão de que os indianos só pensam em sexo, e que todos os homens, mulheres e crianças que cultuam diariamente o Śivaliṅga devem ter como objetivo o aumento da sua energia sexual e do prazer proporcionado pelo sexo. No ocidente, infelizmente, muitas ideias indianas (incluindo esta) foram distorcidas, e doutrinas de grande profundidade espiritual foram transformadas em desculpas para uma liberdade sexual ilimitada, pelo simples prazer. A tradição indiana não nega a importância do prazer (em particular, do prazer sexual) como um importante objetivo humano; mas existe uma diferença entre a busca do prazer e a busca pela transcendência espiritual, que é o objetivo mais elevado, segundo a tradição da Índia.

Vejamos, então, outros aspectos do Śivaliṅga - especialmente seus aspectos místicos, filosóficos e espirituais. 

A palavra "liṅga", que vem do radical sânscrito lag, significa uma marca, sinal, indicação, signo, emblema, característica, identificação. Em certos contextos, liṅga significa uma prova ou evidência (um sinal da verdade, ou um indício de um crime).  Por exemplo, em frases como "existe fogo, porque há fumaça", a fumaça é o liṅga. Na medicina indiana, pode significar um sintoma (um sinal da doença).

Onde há fumaça há fogo...

Se esse é o significado original da palavra, por que motivo "liṅga" passou a ter o significado de pênis? Simplesmente porque o pênis é o sinal que identifica os homens, assim como a fumaça identifica a presença do fogo. 

O significado mais geral e abstrato da palavra liṅga é o seu principal significado. Por exemplo, no Vedanta, há um termo técnico, liṅgaśarīra, cuja tradução literal é "corpo (śarīra) característico (liṅga)". É a parte do ser humano que transmigra de uma vida para a outra, e que transporta as características pessoais daquela pessoa (incluindo o seu karma). Qualquer ser humano tem um liṅgaśarīra (não apenas os homens). Se a palavra liṅga se referisse apenas ao órgão sexual masculino, as mulheres não poderiam ter um liṅgaśarīra. 

Transmigração: lingasharira

A origem e o significado do Śivaliṅga (o liṅgam de Śiva) são apresentados de modo muito claro em uma importante escritura indiana, o Śiva Purāṇa (ver uma tradução das partes mais importantes neste link). Sob o ponto de vista mitológico, o Śivaliṅga é uma manifestação da divindade Śiva, que surge para interromper uma disputa entre Brahmā e Viṣṇu. Esses dois devas estavam brigando porque cada um deles se considerava mais importante do que o outro. Śiva então se manifestou no meio da batalha entre eles, sob a forma de uma coluna ou pilar de fogo.

Shiva Lingam - coluna de fogo

Brahmā e Viṣṇu interrompem sua luta, espantados por aquela manifestação divina poderosa, que não conseguem compreender. Brahmā adquire a forma de seu veículo (um cisne) e voa para o alto, tentando encontrar a ponta daquela coluna de fogo; e Viṣṇu adquire a forma de uma de suas manifestações, um javali, e mergulha dentro da Terra para tentar encontrar a extremidade inferior do pilar divino. Nenhum deles consegue chegar até a base ou o pico dessa coluna de fogo - uma indicação simbólica de que aquela manifestação era muito superior ao poder e ao alcance dos dois devas. Então, Śiva surgiu em sua manifestação comum, de dentro da coluna de fogo, explicando para Brahmā e Viṣṇu que era ele próprio o Senhor supremo (Īśa, ou Īśvara). 

Depois de dar várias explicações, o próprio Śiva produz o Śivaliṅga, como uma miniatura da coluna de fogo: “Ó filhos, esta coluna sem raiz nem topo será a partir daqui diminuída em tamanho, para o benefício da visão e do culto no mundo.” (Śiva Purāṇa I.9.19). 

Śiva, no Śiva Purāṇa, é considerado não apenas como uma das várias divindades hindus (devas), mas também como o Absoluto ou Brahman, por isso ele declara para Brahmā e Viṣṇu: 

“Eu tenho duas formas: a manifesta e a não-manifesta. Ninguém mais tem essas duas formas. Portanto, todos os demais não são Īśvara. Caros filhos, primeiramente sob a forma da coluna de fogo e depois nesta forma incorporada, eu expus a vocês minha natureza de Brahman sem forma, e soberania [īśatva] corpórea. Essas duas estão presentes apenas em mim e não em qualquer outro. Portanto ninguém mais, nem vocês, pode alegar soberania.” (Śiva Purāṇa I.9.30-32) 

Lingam, com Shiva, Brahma, Vishnu

Assim, quando Śiva é representado de forma corpórea (com cabeça, mãos, pés) ele representa um dos devas - uma das muitas manifestações divindas existentes no universo. Mesmo sendo considerado (no Śiva Purāṇa) como a principal divindade, que é soberana (Īśvara), essa não é a representação do Ser Supremo (Brahman). Esse Ser Supremo não pode ser representado por imagens corpóreas (com cabeça, mãos, pés), sendo representada pelo liṅgam.

“Para esclarecer minha natureza de soberano [īśatva], que não era conhecida, eu me manifestei imediatamente na forma incorporada de Īśa. A natureza de soberania [īśatva] em mim deve ser conhecida como a forma incorporada, e esta coluna simbólica é indicativa de minha natureza de Brahman. Como ela tem todas as características do meu liṅgaṃ, ele será o meu símbolo. Ó filhos, vocês o cultuarão todos os dias.” (Śiva Purāṇa I.9.40-42)

O liṅgaṃ é uma representação material da coluna de fogo manifestada por Śiva e, por ter esse aspecto ígneo, ele é constantemente banhado em água e outros líquidos.

Lingam de fogo

Portanto, na interpretação espiritual indiana, o Liṅgam (ou liṅga) é uma representação simbólica do Absoluto (Brahman). As várias divindades indianas (Devas) possuem representações antropomórficas sob a forma de pinturas e esculturas. Brahman, no entanto, não se assemelha a uma pessoa, não tem corpo, não tem aparência física. Não existem estátuas ou pinturas de Brahman. Mas ele pode ser representado por esse símbolo ou sinal especial. 

esquema de um Lingam

A coluna central do Śivaliṅga tem uma parte que fica visível, fora do Yoni, e tem outras duas partes que ficam invisíveis. A parte externa representa Śiva, as outras duas partes representam Brahmā e Viṣṇu. O conjunto dessas três partes representa aquele Absoluto (Brahman) do qual Śiva, Brahmā e Viṣṇu são apenas três manifestações. 

Para cada deva, existem muitos mantras diferentes. Um dos principais mantras de Śiva é o mantra de cinco sílabas "namaḥ Śivaya", que é cantado precedido pelo OM. Esse mantra pode ser recitado diante de uma estátua representando a forma corpórea de Śiva (com cabeça, braços, pés). Existe apenas um mantra para Brahman, que é o próprio OM. Este é o mantra adequado para o Śivaliṅga.

Lingam de pedra no templo de Somanath

Para complementar as informações aqui apresentadas, disponibilizamos também para nossos leitores dois textos a respeito do Liṅgam, em PDF. Um deles é de autoria de Heinrich Zimmer, e o outro de Swami Krishnapriyananda Saraswati. Em alguns pontos, as visões apresentadas nesses textos são diferentes daquela exposta aqui.

Lingam-Heinrich-Zimmer.pdf  
Lingam-Swami-Krishnapriyananda-Saraswati.pdf  

Lingam de pedra no templo de Bhojpur

separador


Espaço de yoga Shri Yoga Devi
Campina Grande, Paraíba
http://www.shri-yoga-devi.org/

...
FaceBook link
.