Blog Shri Yoga Devi
Bem vindos!!!
www.shri-yoga-devi.org
 
Postagens do Blog
+ 2013 / 1º semestre
+ 2012 / 2º semestre
+ 2012 / 1º semestre
+ 2011 / 2º semestre
+ 2011 / 1º semestre
+ 2010 / 2º semestre 
+ 2010 / 1º semestre
+ 2009 / 2º semestre
 
EU SOU
Flávia Bianchini
Satyananda Svarupini (Flávia). Sou Instrutora de Kundalini Yoga e Artista Plástica. Coordeno o espaço Shri Yoga Devi onde ministro aulas de Yoga. Veja o site: www.shri-yoga-devi.org

Maha Devi
"Do meu Poder tudo brota,
Por meu Poder tudo se sustenta,
Por meu Poder tudo se dissolve.
Eu sou este Brahman sem dualidades."
Kaivalya Upanisad
Agenda
Agosto de 2012

Dedicamos o Blog e a Newsletter deste mês de Agosto a Shiva - patrono do Yoga e uma das divindades indianas mais populares. Você encontrará aqui práticas associadas a Shiva, bem como textos e vídeos relacionados com essa divindade.  

Shiva, estátua em Rishikesh, rio Ganges

Meditação do mês: 

Meditação sobre Shiva   

Apresentamos neste mês um importante mantra de Shiva (o Mahamrityunjaya Mantra), juntamente com uma postura e gesto com as mãos (mudrá) de Shiva e a mentalização ou concentração sobre o diagrama (yantra) de Mahamrityunjaya. As várias partes envolvidas na prática serão explicadas separadamente.

Um mantra de Shiva

O Mahamrityunjaya Mantra é uma estrofe do Rigveda (RV 7.59.12). É dirigido a Tryambaka "o de três olhos", um epiteto para Rudra, mais tarde identificado como Shiva. Este verso aparece também no Yajurveda (TS 1.8.6.i; VS 3.60). 

Maha mrityunjaya mantra em devanagari

Om tryambakam yajamahe 
sugandhim pushti vardhanam 
urvarukamiva bandhanan 
mrityor mukshiya mamritat

O significado do mantra é este: 
Adoramos o senhor de três olhos [Shiva] que tem uma doce fragrância, que nutre os seres humanos. Que Ele me libere da escravidão de nascimentos e mortes, do mesmo modo que o pepino maduro é separado do talo. 

O Mahamrityunjaya Mantra é um mantra dedicado ao Senhor Shiva. Ele é chamado Maha Mritunjaya Mantra porque é “um grande mantra para a conquista ou vitória sobre a morte”. Acredita-se que para superar o medo da morte, o Senhor Shiva deu à humanidade o Mantra Mahamrityunjaya. Em outra lenda relata-se que o Mantra Mahamritryunjaya foi encontrado pelo Rishi Markandeya, pois era um mantra secreto. Diz que a Lua, Chandrama, estava em apuros, amaldiçoado pelo Rei Daksha e que o Rishi Markandeya deu o Mantra Mahamritryunjay para Sati, a filha de Daksha, e para a Lua. E assim o mantra tornou-se conhecido.

Shiva tryambaka - terceiro olho

Este mantra restaura saúde, felicidade e traz tranquilidade no período de morte. Algumas linhagens espirituais recitam este mantra por ocasião de doenças; para proteção com forças negativas; para superar obstáculos; e às vezes por outras ocasiões como, por exemplo, nascimentos e comemorações. É um mantra para sermos libertados dos sofrimentos físicos, mentais e emocionais, dos medos da morte e de acidentes; e é recitado durante o período de morte, desde o período anterior e após a passagem de modo a guiar e proteger o que partiu. 

O significado espiritual mais profundo do mantra é um pedido para que Shiva nos liberte do ciclo de renascimentos, levando-nos à imortalidade (não uma imortalidade do corpo, mas a fusão com o Absoluto).

Recitação do mantra

Maha Mrityunjaya também é conhecido como "Mantra Moksha" (o mantra da libertação da reencarnação) do Senhor Shiva. Por vezes, é também conhecido como Mrita-Sanjivani Mantra, e ocupa um lugar elevado nas práticas espirituais juntamente com o Gayatri Mantra entre os muitos mantras usados para contemplação e meditação. Swami Vishnudevanda orientava para a recitação diário deste mantra.

Rudra

Existe um grande número de diferentes interpretações deste mantra. Isso deixa claro que nenhuma delas faz justiça a todos os níveis e significados que ele nos traz. A múltipla natureza das palavras em sânscrito faz com que isto seja possível. Na verdade, a pronúncia correta dos sons do mantra é mais importante ao praticante, do que a sua tradução exata. Como música, a ressonância destes sons atrai a mente e a dirige a uma experiência interior. O significado literal do mantra é secundário. Por outro lado, é importante conhecer o significado do mantra para desenvolver confiança nele.  

É possível encontrar na Internet (e em CDs de mantras) diversas versões do Maha Mrityunjaya Mantra. Algumas delas são musicadas, adaptadas ao gosto ocidental, fugindo no entanto do modo tradicional de repetir esse mantra. Indicamos aqui uma versão mais fiel à tradição, que pode ser copiada para seu computador, ou ouvida diretamente aqui. É uma gravação de Srivatsa Ramaswami ensinando como pronunciar e repetir esse mantra. 

Mrityunjaya-mantra

O significado das palavras do mantra

Apresentamos a seguir a análise detalhada de cada palavra do Maha Mrityunjaya Mantra.

Om: o início de cada mantra. Palavra que traz a energia do mantra à manifestação.
Tryambakam: a palavra tryambakam, refere-se aos três olhos do senhor Shiva, “tri” é o mesmo que “três” e “ambaka” quer dizer “olho”. Alguns pronunciam esta palavra como trayambakam, e o significado é o mesmo, "traya" quer dizer "triplo", “amba” faz uma referencia à mãe ou Shakti e "kam" que refere-se ao bom e correto.
yajamahe: é uma oferta, sacrifício, adoração, veneração, ‘adorando com alegria’. 
sugandhim: é um doce perfume/uma fragrância agradável. Uma referência à alegria que temos de conhecer, enxergar e sentir a poderosa presença do senhor shiva, que nos envolve com a fragrância de seu perfume. 
pushti: é o mesmo que nutrir; o suporte a tudo o que existe; a prosperidade.
vardhanam: aumento, incremento, fortalecimento. O aumento da prosperidade, do auxilio divino, da saúde e do bem estar.
urvarukam: um tipo de pepino, que no passado da índia, era conhecido como fruto de uma trepadeira. Esta trepadeira emaranhava-se em outras plantas, unindo-se a elas e tornando-se um obstáculo para o crescimento do pepino, que sofria para libertar-se e cair. 
iva: assim como, desta forma.
bandanam: impotente e sem forças, preso no cativeiro.
mrityor: da morte, das doenças e dos obstáculos.
mukshiya: uma armadilha.
mamritat: livra-nos da morte, dê-nos a eternidade. 

Fontes Consultadas:
DEVANANDA, Swami Vishnu. Meditación y mantras. Madrid: Aliança Editorial, 2011.
SIMÕES, Paulo Rodrigues. Mahamrityunjaya Mantra. 
Web site:
www.espiritualidadeweb.com.br/files/mahamrityunjay.txt

separador

Um yantra de Shiva

Shiva, que é também conhecido como Panchamukha (o que tem cinco cabeças), Mahamrityunjaya, e Rudra, é adorado por diferentes propósitos. Diz-se que ele é cumpridor de todos os desejos.

Shiva Panchamukha

Um dos yantras (diagramas místicos) de Shiva é o Mahamrityunjaya Yantra.

O Senhor Mahamrityunjaya Shankar é o vencedor da morte. Por meio da adoração de Mahamrityunjaya Shankar se pode fugir das misérias e problemas deste mundo materialista, bem como dos problemas relacionados com a alma interior. Ele confere os nossos problemas, estresse tensão, bem como nosso ego. O Senhor Mahamrityunjaya é o médico da alma e sentimentos. 

Mahamrityunjaya Yantra é usado para libertar do medo da morte, de graves perigos e doenças fatais e torna uma pessoa corajosa e saudavel. Ele concede à pessoa riqueza e saúde, boa fortuna e felicidade, e fama. Dissipa todos os tipos de medos, influências negativas dos planetas (na astrologia), o medo de fantasmas, morte acidental e doenças etc. Particurlamente ele alivia um de todas as doenças terríveis. É geralmente gravado em placa de cobre ou placa de ouro ou também pode ser escrito em Bhojpatra e energizado com mantras.

Bhojpatra é feito a partir da Betula utilis – Bhûrja, videira do Himalaia – é uma árvore nativa de bétula, com diversos usos de partes diferentes da árvore. A casca bem como o papel feito a partir da árvore foi e é utilizado para a escrita de mantras sagrados, escrituras e textos em sânscrito, e a casca é colocada em amuletos e usada para proteção.

Yantra Mahamrityunjaya

Podem ser encontradas na Internet muitas versões coloridas desse yantra, cada uma com cores completamente diferentes das outras versões. Não conseguimos localizar nenhuma descrição tradicional desse yantra que fale sobre suas cores. É provável que o Mahamrityunjaya Yantra fosse utilizado apenas como um diagrama gravado sobre o metal, sem adição de tintas. A coloração que aparece nas versões recentes parece ser apenas uma adição que segue o gosto de cada um.

Pode-se recitar o Maha Mrityunjaya Mantra, do modo como já foi descrito, concentrando-se sobre esse yantra. Também se utiliza uma versão um pouco modificada, em que o Maha Mrityunjaya Mantra é precedido por alguns bija-mantras (om haum jum sah) e pelas exclamações do Gayatri (om bhur bhuvah svah), colocando-se esses mesmos mantras no final, em uma ordem alterada. O mantra assim modificado é este:

Om haum jum sah
Om bhur bhuvah svah 
Om tryambakam yajamahe
sugandhim pushti vardhanam
urvarukamiva bandhanan
mrityor mukshiya mamritat
Om svah Om bhuvah bhuh
Om sah jum haum Om

Fonte consultada:
SHASTRI, M. H. K.; VASHISTH, Laxmi Kant. Yantra Mahima. New Delhi: Sagar Publications, 2006.

separador

Mudrá de Shiva

O gesto de meditação (Dhyana Mudrá), também conhecido como Shiva Mudrá ou Bhairava Mudrá, é feito em postura assentada, colocando-se a mão esquerda no colo e a mão direita sobre a esquerda, encostando os polegares um no outro.  

Shiva Mudra ou Dhyana Mudra
Shiva Mudrá = Bhairava Mudrá = Dhyana Mudrá

Pode-se também inverter a posição das mãos, colocando a esquerda sobre a direita, mas neste caso o nome mais correto do gesto é Dhyaní Mudrá, ou Bhairaví Mudrá, e é considerado feminino, associado à Grande Deusa e não a Shiva.

Dhyani Mudra
Bhairaví Mudrá = Dhyaní Mudrá

Não se deve confundir o Dhyana Mudrá com o Jñana Mudrá (chamado às vezes Gyan Mudrá), que também é muito utilizado em meditação, mas que é feito de outro modo, encostando-se a ponta do polegar na ponta do dedo indicador e estendendo os outros dedos.

Shiva assentado, com as mãos em Shiva-mudra ou Dhyana-mudra
Shiva assentado, com as mãos em Shiva-Mudrá

Há muitas estátuas de Shiva em que ele aparece em Dhyana Mudrá. É muito comum, também, observar-se estátuas de Buddha utilizando o mesmo tipo de mudrá. Acredita-se que o Buddha se assentou para meditar sob a árvore pipal utilizando esse gesto, antes de atingir sua iluminação. 

Buddha meditando, com as mãos em Dhyana Mudrá

O objetivo do Shiva Mudrá é acalmar a mente e o corpo, preparando para entrar em um estado meditativo (Dhyana). É praticado normalmente de olhos fechados, com a coluna reta, em qualquer das posturas (asanas) assentadas. Pode-se permanecer um longo tempo praticando Shiva Mudrá. Os efeitos começam a ser sentidos após 10 minutos.

Fontes Consultadas:
HIRSCHI, Gertrud. Mudras. Yoga in your hands. San Francisco: Weiser Books, 2000.
KUPFER, Pedro. Mudrá. Gestos de poder. Florianópolis: Pedro Kupfer, 1999.

separador

Meditação para Shiva

A meditação que apresentamos aqui utiliza os três componentes que acabamos de apresentar: mantra, yantra e mudrá. 

Sente-se de modo relaxado, com as mãos em Shiva Mudrá. Pode-se utilizar a visualização ou o foco do olhar dirigido para o Mahamrityunjaya Yantra. Uma vez que o mantra (Mahamrityunjaya Mantra) seja aprendido, leve o significado para sua mente enquanto faz sua meditação diária, como um tipo de invocação em sua prática normal.

Shiva meditação

Depois de acalmar o corpo e a respiração, entoe o mantra por 3, 27, 33, 108 recitações, e permita à sua mente tornar-se absorta pelos sons e ritmos de cada linha. Deixe o mantra puxar sua consciência ao centro do seu coração ou para o centro das sobrancelhas, na altura do Ajña chakra (o "terceiro olho" de Shiva).  

Se for recitar o mantra para resolver um problema de saúde, focalize sua consciência no Manipura Chakra (na região do plexo solar).

Novos textos no site: 

"Shiva Manasa Puja", "Nirvana Shatkam" e "Shiva Mahimna Stotram"

Todo mês estamos adicionando novos textos para leitura na biblioteca virtual do nosso site Shri Yoga Devi. 

Neste mês, colocamos à disposição dos nossos leitores três novos textos. Dois deles são textos curtos de Adi Shankaracharya (século VIII ou IX d.C.): Shiva Manasa Puja ("Adoração mental de Shiva") e Nirvana Shatkam ("Seis estrofes sobre o Nirvana", também conhecido como Atma Shatkam). Esses dois poemas de Shankara abordam aspectos espirituais da devoção a Shiva.

Shiva meditando (estátua / cabeça)

O terceiro texto deste mês é o hino Shiva Mahimna Stotram, uma composição em homenagem a Shiva. De acordo com a mitologia indiana, esse hino foi composto por um Gandharva (um tipo de ser espiritual da tradição indiana) chamado Pushpadanta (nome que significa "dentes de flor"). É um hino muito popular entre os devotos de Shiva.

Além dos textos, colocamos também gravações e vídeos relativos a esses três hinos.

Veja mais informações nesta página: Textos sobre Shiva

Vídeos do mês: Danças de Shiva

Shiva é o Rei da Dança (Nataraja). É bem conhecida sua representação em postura de dança, dentro de um círculo de fogo, símbolo da renovação. Através de sua dança, Nataraja cria, conserva e destrói o universo. Ela representa o eterno movimento do universo que foi impulsionado pelo ritmo do tambor e da dança. 

]Shiva Nataraja, o rei da dança, detalhe

Apesar de seus movimentos serem dinâmicos, como mostram seus cabelos esvoaçantes, Shiva Nataraja permanece com seus olhos parados, olhando internamente, em atitude meditativa. Ele não se envolve com a dança do universo pois sabe que ela não é permanente. Como um yogue, ele se fixa em sua própria natureza, seu ser interior, que é perene. 

Selecionamos neste mês vários vídeos do YouTube que mostram danças clássicas indianas dedicadas a Shiva e que podem ser vistos neste link.

Mitologia de Shiva

Quem é Shiva? Em uma página separada do nosso Blog, apresentamos uma visão geral sobre a mitologia dessa importante divindade indiana. Clique neste link para acessar a mitologia de Shiva.

Shiva dançando para Parvati (Shakti)

separador

Livro do Mês: 

"El Señor Shiva y Su adoración"
Por Swami Sivananda

Apresentamos e disponibilizamos para nossos leitores o texto completo da tradução espanhola do livro de Swami Sivananda, "El Señor Shiva y su adoración" (Lord Siva and His Worship). 

Shiva sentado sobre pele de tigre - miniatura

Esta é uma obra muito útil, cheia de informações importantes e bem fundamentadas sobre Shiva, dedicada especialmente aos seus devotos. Contém 15 capítulos e está repleta de instruções para a Sadhana prática, com o objetivo de atingir a realização da essência de Shiva (Shiva Tattva). Expõe práticas pouco conhecidas, baseada no estudo dos textos clássicos. Contém a tradução das Upanishads dedicadas a Shiva (Shaiva Upanishads) e de outros textos importantes da tradição shivaísta. Apresenta também a vida de alguns dos grandes devotos (bhaktas) de Shiva do passado. É uma obra fundamental para quem quer conhecer mais profundamente essa tradição. 

O livro completo está disponível em nossa biblioteca virtual de textos. A distribuição dessa obra é livre, por autorização da The Divine Life Trust Society.

Sobre o autor, Swami Sivananda

Swami Sivananda Saraswati nasceu em Pattamadai, Índia, no dia 8 de setembro de 1887 e faleceu em 14 de julho de 1963. Chamado de Shivananda ou Sivananda, foi um líder espiritual indiano de grande influência. 

Seu pai, P. S. Vengu Iyer, foi um oficial do governo e um sacerdote do hinduísmo (bramânico). Inicialmente, Sivananda seguiu a carreira da Medicina, trabalhando durante vários anos como médico antes de se dedicar ao trabalho espiritual. 

Swami Sivananda jovem

Em 1923 desistiu das suas posses, e passou um ano em peregrinação pelos lugares sagrados da Índia antes de ir para Rishikesh. Ali ele foi batizado pelo guru Swami Viswananda Saraswati como Swami Shivananda Saraswati. Viveu em uma choupana demolida nas proximidades do ashram de Viswananda, praticou uma vida austera e meditação, e trabalhou como médico cuidando das doenças dos gurus e peregrinos. Desde então, viveu a maior parte de sua vida perto de Muni Ki Reti, em Rishikesh (região do Himalaia). 

Sua fama se espalhava. Ele viajou por toda a Índia ensinando, e na sua volta em 1932 fundou o Shivananda Ashram. No principio ele era um velho celeiro para o gado que ele chamou de Ananda Kutir, morada da felicidade. Discípulos se reuniram e outros celeiros de gado foram construídos e se tornaram habitáveis. 

Swami Sivananda

Sivananda escreveu mais de 200 livros sobre yoga, vedanta e outros assuntos associados à espiritualidade indiana. Fundou a Divine Life Society (em 1936) e a Yoga-Vedanta Forest Academy (em 1948), onde foram treinados centenas de importantes professores de yoga. Seu ashram, que foi a sede da Divine Life Society, fica nas margens do rio Ganges em Shivanandanagar, a 3 km de Rishikesh. Essa sociedade continua a coordenar os ashrans criados por Sivananda. 

Após a morte de Swami Shivananda em 1963, Swami Chidananda tornou-se presidente da Divine Life Society e promoveu sua rápida ampliação para o ocidente.

separador

Novo evento: 

Workshop sobre Yoga e Meditação em São Luís, MA (2-4 de novembro)

No início de novembro teremos uma oficina de Yoga e Meditação em São Luís, com duração de três dias (2 até 4 de novembro).  O workshop, ministrado por Roberto de A. Martins (Shivananda Yaksha) ocorrerá no Alchimia Espaço Holístico. Haverá uma palestra aberta na quinta feira, dia 01/11, às 19 horas. 

Workshop sobre Yoga e Meditação, em São Luís, MA

O curso será teórico e prático. Apresentará desde as técnicas mais básicas de relaxamento e controle mental, para acalmar o fluxo de pensamentos e emoções, até práticas de concentração e meditação para fins espirituais. Serão também explicadas as bases conceituais do Yoga clássico de Patañjali (exposto no Yoga-Sutra). 

Todos os exercícios básicos serão introduzidos nos dois primeiros dias, e no terceiro dia haverá práticas intensivas de meditação, para fixar e aprofundar as técnicas aprendidas.

Veja mais informações sobre o workshop de meditação neste link.

MEDITAÇÃO DA LUA CHEIA

A Lua Cheia de Agosto ocorreu no dia 02/08, quinta feira. Uma segunda Lua Cheia ocorre no dia 31/08, sexta-feira. Trata-se da chamada "Lua azul", quando caem duas Luas Cheias no mesmo mês (é apenas um nome, a Lua não fica de cor diferente).

   Calendário lunar - Agosto de 2012

A Lua Cheia de Setembro ocorre no dia 30/09, domingo. 

   Calendário lunar - Setembro de 2012

Este dia é um tempo de conexão e expansão da Luz interna. Veja a Lua, sinta sua energia, conecte-se com a Luz do Sol que nos ilumina e alimenta. Veja mais sobre a Meditação da Lua Cheia na Agenda do nosso site: 

www.shri-yoga-devi.org/agenda.html   

separador


Espaço de yoga Shri Yoga Devi
Campina Grande, Paraíba
http://www.shri-yoga-devi.org/

...
FaceBook link
.