Blog Shri Yoga Devi
Bem vindos!!!
www.shri-yoga-devi.org
 
Postagens do Blog
+ 2013 / 1º semestre
+ 2012 / 2º semestre
+ 2012 / 1º semestre
+ 2011 / 2º semestre
+ 2011 / 1º semestre
+ 2010 / 2º semestre 
+ 2010 / 1º semestre
+ 2009 / 2º semestre
 
EU SOU
Flávia Bianchini
Satyananda Svarupini (Flávia). Sou Instrutora de Kundalini Yoga e Artista Plástica. Coordeno o espaço Shri Yoga Devi onde ministro aulas de Yoga. Veja o site: www.shri-yoga-devi.org

Maha Devi
"Do meu Poder tudo brota,
Por meu Poder tudo se sustenta,
Por meu Poder tudo se dissolve.
Eu sou este Brahman sem dualidades."
Kaivalya Upanisad

TEXTO DO MÊS:

"Kaivalya Navanita" 
(“O Creme da Libertação”)

Todos os meses estamos adicionando novos textos para leitura na biblioteca virtual do nosso site Shri Yoga Devi

Neste mês, colocamos à disposição dos nossos leitores uma tradução completa para o português do Kaivalya Navanita (“O Creme da Libertação”). Este é um livro indiano escrito no século XVIII, em Tamil, atribuído a Tandavaraya Swami. O título da obra descreve seu objetivo: apresentar o “creme” (essência) da libertação espiritual (Kaivalya). A obra, apresentada sob a forma de um diálogo entre mestre e discípulo, é dividida em duas partes: (1) a explicação da realidade; (2) remoção das dúvidas. Esta obra era muito elogiada por Ramana Maharshi.

Shiva e Shakti

A obra contém os ensinamentos do Vedanta sobre o Eu supremo (Brahman, ou Param-atman) e sua relação com o Eu individual (jivatman). A essência divina e a essência individual são uma só coisa. Quem vivencia sua própria natureza desse modo se torna um liberto em vida (jivanmukta). Sua vida se torna plena. Esta é a substância do livro. 

“Veja, meu filho: aquele que esqueceu sua verdadeira natureza nasce e morre repetidamente, girando sem cessar na roda do tempo, como uma pena capturada em um redemoinho, até que ele  percebe a verdadeira natureza do Eu. Se ele chega a ver o Eu individual e seu substrato, o Senhor, então ele se torna Brahman, o substrato, e escapa dos renascimentos. Se você se conhecer, nenhum mal poderá atingi-lo. Atendendo ao seu pedido, eu lhe contei isso.” (Kaivalya Navanita, parte 1, versos 19-20)

Samsara - a roda de renascimentos

Essa obra era admirada e citada frequentemente por Ramana Maharshi, que recomendava sua leitura para a compreensão do caminho espiritual não-dualista do Advaita Vedanta

A presente tradução para o português, de José Luiz Corrêa Cardozo, está disponível na Internet, no seguinte endereço: http://almadeouro.net/downloads-ramana/kaivalya.doc. Essa versão para o português se baseou na tradução para o inglês de Swami Ramanananda Saraswathi, publicada em 1965.

A versão apresentada em nosso site é uma revisão da tradução acima, com uma nova introdução. Este e outros textos podem ser encontrados na biblioteca virtual do nosso site Shri Yoga Devi


Espaço de yoga Shri Yoga Devi
Campina Grande, Paraíba
http://www.shri-yoga-devi.org/